Archive | julho, 2012

Casei 4 – O Salão e o Buffet

12 jul

Nossa, eu nem sei como descrever a perfeição do salão e do buffet. Kelly e Eduardo, MUITO OBRIGADA!

Meninas, sabe o que é não ter NENHUMA reclamação? O sonho de toda noiva, né? Pois com o Espaço Catetinho foi assim! Os convidados falam até hoje sobre a beleza do local, a simpatia dos garçons, o sabor da comida, o quanto foram bem atendidos e bem recebidos. Todo mundo elogiou MUITO a comida! Eu sabia que estaria tudo uma delícia, porque eu já estava apaixonada por tudo desde a degustação, queria TUDO no dia, foi difícil escolher. O Eduardo realmente é um chefe de mão cheia! Olha que o Pedro é bem exigente com comida e ele adorou.

Todas as pessoas, sem exceção, disseram que saíram “rolando” de tanto comer da minha festa, já não aguentavam comer mais nada e que estava tudo muito gostoso. Por isso sobraram muitos doces e bolo, as pessoas tiveram que levar  pra casa, pois não conseguiam mais comer. Foram muitos, muitos elogios. Os convidados só têm me encontrado na rua e dito: “Menina, que festão! Que lugar lindo! Que comida maravilhosa! Como fomos bem servidos!”. Várias exclamações.

Destaque para o garçon VIP dos noivos, Jhonny. UM AMOR! O Pedro chamava ele de “Meu Anjo da Guarda” o tempo todo. Tudo que a gente pedia ele trazia. Essa história de que os noivos não comem é balela! Eu não comi muito, porque estava bem agitada, mas o Pedro aproveitou bastante e comeu de tudo.  O VIP servia meu Prosecco e logo depois vinha com a água, me dando o que comer para eu não ficar tão bêbada! Culpada confesso, fiquei BEM alegre! hahahaha Mas foi uma DELÍCIA curtir a festa com meu amor e meus convidados. Eu realmente não queria ser aquela noiva estátua que não participa da festa.

No meio da festa, eu e Pedro fomos na cozinha e fizemos questão de agradecer pessoalmente ao pessoal que estava preparando tudo. Pelo capricho, pela comida deliciosa. Qual não foi minha surpresa quando encontramos a Kelly de touquinha ajudando o pessoal na cozinha e o Eduardo coordenando tudo. Eles se envolvem mesmo no seu casamento, fazem o melhor pra tudo ficar perfeito, metem a mão na massa, organizam tudo e até fazem um pouco de cerimonial. Porque, eu vou falar uma coisa pra vocês, se não fosse por eles, coisas que já deram errado no dia por conta de cerimonial, teriam dado ainda mais errado.

Fora que a Liliane, que trabalha com eles, é um amor! Fica o tempo inteiro na organização, da negociação até no dia do casamento. Se envolve, ajuda, coordena. Minha tia chegou lá, e como não a conhecia, jurou que ela era do cerimonial. Todos são uma simpatia! Tivemos muita sorte mesmo.

Gente que diz que fica longe, que a localização é ruim, não sabe do que fala. Levamos menos de 20 minutos para sair da Igreja no Lago Sul e chegar lá. Fica em uma área verde, quase não tem casas em volta, o que ajuda se você quer estender a festa um pouco mais. Quem fala da localização, ou é porque é preconceituoso ou é porque é orgulhoso e só os clubes do Lago prestam. Claro que há lugares lindos lá, maravilhosos e que me chamaram a atenção, mas nem sempre, eu disse NEM SEMPRE,  a satisfação é a mesma da que eu tive no Espaço Catetinho.

Brasiliense, ou melhor, brasileiro tem essa mania, né? Gosta de ostentar algo pelo nome. Eu nunca fui assim e acho que as noivas deveriam levar isso em conta. Faça um casamento que tenha a sua cara, não queira apenas encher de flores e lustres com o decorador mais caro e no lugar mais badalado de Brasília. Nem sempre isso é o que vai fazer o seu casamento inesquecível. O que gosto muito da inspiração dos casamento americanos e euroupeus é isso. Eles imprimem a identidade no seu casamento e é isso que tentei fazer no meu. Gosto de ter personalidade e passar isso para as minhas coisas. No meu casamento foi assim, na decoração da minha casa também.

Acho que as noivas deveriam fazer isso também. Parar de se preocupar com o nome do profissional e seguir mais seu coração, se apaixonar por algo que tenha a ver com ela e com o noivo, não só pela fama de quem o faça. Se coincidir de o profissional ser famoso e ter aquilo que os noivos estão procurando, ÓTIMO. Isso é muito bom mesmo, depende do estilo dos noivos. Há profissionais que eu adoro, que são tops, mas que não fazem muito o MEU estilo.  Agora, contratar sem pensar, só pelo nome e pelo status. Desculpa, não é muito inteligente.

Fiquei EXTREMAMENTE satisfeita com o contrato do meu salão e buffet e indico pra quem for de olhos fechados. Abaixo algumas fotos do local e da Ilha Mexicana que contratamos, que estava linda e deliciosa. Aliás, meu cardápio, além da ilha, foi de Coquetel Volante e Mini Empratados. Deu mais que conta do recado e meus convidados ficaram muito satisfeitos.

Ps: Vou estar mais presente no blog, estou de recesso do trabalho e da Pós! Eba! hahaha

Casei III Doces, Bem-Casado, Bolo e Maquete

9 jul

Claro que meus Doces e Bolos foram feitos pela Maria Gelza, minha tia. Não só pelo parentesco, mas porque eu sei mais do que ninguém que não poderia haver melhor escolha. Eu já fui a degustações, respeito o trabalho de todas as boleiras, há doces e bolos deliciosos, mas como os da minha tia, para mim, não há.

Eu fui muito exigente como tudo em meu casamento. Não cheguei a ser uma noiva chata, mas sempre busquei o melhor e a perfeição em tudo. E quando eu falo de melhor, não falo dos mais caros, falo dos que eu acho excelentes profissionais. Se a Maria Gelza não fosse excelente profissional e tivesse um trabalho divino, eu não contrataria, sendo da família ou não.

Bom, fizemos mais de 2.000 doces de vários tipos. Dica: Se vocês forem casar no Espaço Catetinho, que vou falar sobre depois, pode fazer a metade disso! Sobrou MUITO doce, porque tinha MUITA comida. Eu, culpada confesso, exagerei. Minha tia bem que me avisou, mas eu “Nãaao! Vamos fazer muito! Quero a mesa cheia!” #alocka. Cuidado com isso, meninas! Minha tia teve que sair distribuindo os doces pela vizinhança. A média, segundo ela, é de 4 doces por pessoa. Eu fiz 10. Então, peguem dicas sobre tudo comigo, menos sobre a  quantidade de doces! hahaha

 

As forminhas comprei a maioria na 25 de março. Algumas aqui no Taguacenter. Gastei mais ou menos R$ 800,00 em forminhas, algumas de papel, outras de pano. Quem tem parentes em São Paulo, vale MUITO a pena a ida à 25. Não só para comprar forminhas, mas materiais para as lembrancinhas e outros mimos também.

A maquete eu só falei para minha tia o que queria e ela executou perfeitamente. Ficou a nossa cara! Quase morri quando vi. Eu queria muitas pérolas e alto relevo. Algo delicado, mas ao mesmo tempo clássico. Ficou perfeita!

Não estou com a foto dos meus bolos de copa, mas os sabores foram de Estrogonofe de Nozes (Ai, que delícia!) e o outro de Chocolate Crocante (Para o noivo que não gosta de nozes). Também fiz mini-bolos de chocolate para colocar na mesa dos pais e os bem-casados foram de chocolate e branco. Fofinhos, molhadinhos e sem cheiro de ovo. Ficaram em caixinhas lindas que minha tia artesã fez. Vou falar sobre as lembranças em outro post também. Além disso, também quis cupcakes de vários sabores.

A única coisa que pedi à parte foram os Macarons deliciosos do Daniel Briand. Sempre quis Macarons para enfeitar e trazer um quê de Paris para o meu casamento. Deu certo! Os Macarons estavam lindos, crocantes por fora e fofinhos por dentro e ficaram em uma peça de 3 andares que comprei de uma designer em Curitiba, Debora Cavalli. Ela faz umas peças super lindas e que são bem mais baratas que em qualquer outro lugar, além de tudo, são exclusivas. Eu infelizmente perdi o blog dela, mas a quem interessar, aqui está o e-mail: dsrinaldi@gmail.com.